quinta-feira, 5 de julho de 2012

Moradores de Goiânia (GO) se posicionam contra o uso de animais em circo na cidade (ANDA)

Data de publicação no site da ANDA:  21 de junho de 2012 às 17:40

Patrícia Magalhães:
Aqui em Goiânia, onde não existem leis contra o uso de animais pelos circos, esteve recentemente o Circo Zanchettini.
Vários moradores das proximidades do circo reclamaram do barulho dos animais à noite, que estava insuportável ouvir o sofrimento deles.
Já com os órgãos responsáveis, inclusive o MP, acionados, e não tendo tomado nenhuma providência, manifestantes resolveram panfletar perto do circo, informando o modo cruel com que os animais são tratados.
No dia da manifestação, eles sumiram com os animais, não tinha nenhum lá. As pessoas que participaram foram agredidas de todas as formas pelo pessoal do circo, fisicamente e com muitos insultos.
O circo saiu de lá no dia seguinte, mas nessa sexta-feira, dia 15, estreou em Trindade, cidade vizinha a Goiânia, com os animais na mesma situação.
Por favor, vamos tentar pressionar de todas as formas nossos políticos aqui por uma mudança nas leis do estado de Goiás.

Foto: Divulgação
Neste post do facebook, eu contei tudo com muitos detalhes:
Atualização de status
De Patrícia Magalhães
Carta aberta ao meu primo e a todos.

Oi, primo. Como vou preservar o nome de todos os envolvidos no ocorrido, muito justo preservar o seu também! Quero que fique tudo bem claro pra você e pra quem ainda não sabe.
Você me escreveu sobre a situação dos animais naquele circo q estava ao lado da sua casa, há alguns dias. Como você, outras pessoas que moram por lá também se revoltaram ao ver como os animais eram mantidos e ouvi-los durante a noite toda. Só não ouve gritos de socorro quem não quer ouvir.
O fato é que, ao contrário de vários outros estados do Brasil, e vários outros países, Goiás ainda não tem leis que proíbam circos com animais. Ao contrário também de um mínimo de bom senso, que nos diz que lugar de leões, tigres, elefantes, ou qualquer outro animal, não é dentro de uma jaula minúscula, onde mal podem caminhar em círculo para aliviar o alto nível de ansiedade em que vivem. De onde só saem para serem torturados até que parem de lutar pela liberdade, e até que aprendam a divertir o ser humano da forma mais humilhante possível.
Enfim, o circo estava lá, os devidos órgãos competentes já devidamente alertados, inquéritos abertos, quando nós, um grupo de pessoas comuns que se sensibilizaram com a questão, além de esperar pela criação de uma lei que impeça que tal absurdo continue, resolvemos fazer uma manifestação nas áreas próximas ao circo, com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a forma que os animais são tratados em circos, para que ajudassem não frequentando esse tipo de “espetáculo”.
Levávamos panfletos para distribuir, com informações relevantes. Nem citávamos o nome do tal circo. Nem tínhamos uma faixa ou cartazes, muito menos um megafone! Nem éramos centenas de pessoas, que haviam confirmado presença na internet. Éramos umas dez pessoas, com panfletos na mão. Foi só entregarmos o primeiro panfleto, que o pessoal do circo, bastante gente, aliás, atacou.
Sim, atacou.
Agarraram a menina q entregou, torceram o braço dela, empurraram todos nós, que fomos tentar puxá-la. O rosto dela ficou machucado.
Nós fomos xingadas, nos ameaçaram de morte se pisássemos dentro do circo (o que obviamente a gente não ia fazer, apesar de termos o direito, como qualquer outra pessoa).
Jogaram nossos panfletos no chão, disseram q era lixo, queriam rasgar tudo, enquanto continuavam nos xingando e nos mandando arrumar serviço! (Detalhe: todo mundo trabalha, e era sábado!)
Chamamos a polícia. Que viu claramente como eles estavam agressivos e mesmo assim nos disse que estávamos ali procurando encrenca. Pedimos que ficassem um tempo por ali, para nos proteger, pois só queríamos informar o povo sobre a realidade dos animais. Mas responderam que estavam muito ocupados, tinham que ir cuidar de um grupo de drogados, e também achavam que a gente deveria estar cuidando era deles e não dos animais.
Chegou então uma oficial de justiça para entregar a quatro de nós um mandado de citação, onde já previam que a gente ia impedir o pleno exercício de seu trabalho, e alegando que os animais são tratados por eles como filhos. Tinham chegado aos nossos nomes pelo Facebook.
Ingenuidade nossa… e muita experiência deles, que já passaram por vários problemas parecidos em outros estados.
Fomos informados também que deveríamos contratar um advogado para fazer nossa defesa. Defender de que, eu até hoje não consegui compreender totalmente. A gente não fez nada! Aliás, pisamos na calçada do terreno onde estava o circo.
E os animais??
Não estavam mais lá, tinham sido retirados do local durante a madrugada um dia antes da manifestação.
Foram caminhar em círculos dentro das mesmas jaulas, em algum lugar por aí onde a lei permita e onde existem pessoas que achem isso engraçado.
Beijo!
Obs: Outra ingenuidade nossa foi não registrar tudo, filmar do começo ao fim, como eles fizeram, pois não contávamos com uma recepção desse porte. Então não posso provar nada do que escrevi, e como não estou preservando meu próprio nome, nem sei o que vem por aí. Seja o que for, que todos fiquem sabendo como as coisas se passaram, e que saibam também que tudo fica como lição, pois esse é apenas o começo dessa história.


Nenhum comentário:

Postar um comentário